Dirigentes e delegados sindicais participam de curso de formação

0

Você já deve ter parado para se perguntar como surgiram os sindicatos ou para qual finalidade eles existem. Os sindicatos surgiram no contexto da industrialização e da consolidação do capitalismo na Europa, a partir do século XVIII. Para entender melhor toda essa história, o Sindicato dos Bancários do Pará promoveu junto aos seus dirigentes e delegados sindicais, o segundo curso de formação no auditório da sede do Sindicato dos Bancários, na última sexta-feira (29).

“O nosso objetivo é fazer com que todos e todas possam pensar e achar soluções para esse momento, portanto entender e conhecer como toda a luta de classes surgiu é um importante caminho. Vale ressaltar, que nós devemos nos estruturar para resistir a essa conjuntura”, destaca o presidente do Sindicato dos Bancários, Gilmar Santos.

“Os sindicatos têm um papel importante e vamos continuar exercendo nossa função que vai desde a representação dos trabalhadores à forte atuação no cenário político nacional. Para isso contamos com apoio dos nossos delegados e delegadas sindicais eleitos, que são os representantes do Sindicato na base”, destaca o diretor de formação do Sindicato, Fábio Gian.

O historiador, doutor e professor da Escola Dieese, Samuel Souza, começou o curso falando sobre o início do movimento sindical na Inglaterra, depois sobre as primeiras organizações de trabalhadores e o movimento sindical na Primeira República.

Segundo o historiador, as principais greves operárias ocorridas no Brasil durante a Primeira República tiveram como motivos a luta pelo aumento salarial, melhores condições de trabalho, melhores condições de vida (alimentação, moradia), por uma legislação previdenciária, direitos trabalhistas e sindicais.

“Qualquer semelhança com os dias atuais não é mera coincidência. Isso é a prova de que a luta de classes não é um conceito, muito menos teoria, ela não para, apesar de estarmos regredindo e lutando por quase a mesma pauta de séculos atrás. A sociedade se estrutura nessa luta e ser neutro significa apoiar o chefe, pois numa sociedade em guerra, não existe neutralidade. Os sindicatos são a consolidação de um sistema de luta e consciência de classe”, comenta Samuel Souza.

À tarde, a história chegou ao golpe de 1930 e o movimento sindical na Era Vargas e na República Populista.

“Contar a história do movimento sindical é um tema que eu gosto e no contexto de tantos ataques às organizações de trabalhadores é muito importante refletir sobre esse assunto, principalmente, apresentá-lo para o cotidiano de quem está atuando diretamente na mobilização da classe trabalhadora. A história serve para analisarmos o passado, ver o que tem de errado e melhorar em prol das conquistas dos trabalhadores e trabalhadoras”, avalia o historiador.

“Foi um curso com uma carga de conteúdo muito grande. As informações ali colocadas foram essenciais para a formação dos delegados sindicais. Com certeza as informações adquiridas no curso serão de grande valia para o trabalho, não apenas dos delegados sindicais, mas também dos dirigentes”, avaliou a dirigente do Sindicato, Suzana Gaia.

“Curso muito produtivo, aprendi muito e é a primeira vez que sou delegada sindical e não tinha conhecimento sobre a origem e trajetória do sindicalismo. Palestrante excelente, acolhimento excelente pelo sindicato e colaboradores”, falou a delegada sindical e empregada do Banco do Brasil, Rosangela Moraes

POSSE DOS NOVOS DELEGADOS E DELEGADAS

Ao final do curso foi realizada a posse dos delegados e delegadas sindicais eleitos e eleitas para o mandato 2018-2019 no Banco do Brasil, Caixa, Banco da Amazônia e Banpará.

Confira aqui a nossa galeria de imagens.

Fonte: Bancários PA

Comments are closed.