Por condições de trabalho dignas, Sindicato retarda abertura da agência Nova Marabá

0

Manifestação em frente à agência teve o apoio da população para a luta dos empregados do Banco da Amazônia por condições dignas de trabalho

Mais de um ano de espera, em meio a infiltrações e mofo; esse foi o tempo que os bancários e bancárias da agência Nova Marabá, a unidade mais rentável do Banco da Amazônia na principal cidade do sudeste paraense, esperaram para ter a certeza que os dias de péssimas condições de trabalho finalmente estão com os dias contados.

É que na última segunda-feira (1º), a direção do banco firmou contrato com a empresa Marco Construtora e Empreendimentos que vai executar o serviço de reforma da agência, no valor de R$ 69.549,99.

Para dar aquela pressionada para que as obras não durem o mesmo tempo que os bancários e bancárias tiveram que esperar pra vê-la acontecer, o Sindicato dos Bancários retardou na manhã de ontem (4) a abertura da unidade. Clientes, usuários e o próprio funcionalismo apoiaram a manifestação.

“É surreal e desumano o que os colegas tiveram que enfrentar por mais de ano e que se agravou agora no inverno amazônico. Assim como eles esperamos que as obras fluam e que de fato os problemas sejam resolvidos, mas que as obras ocorram fora do expediente bancário, para que os bancários e bancárias não sofram ainda mais transtornos. A máscara tem amenizado os odores, mas colegas que sofrem de rinite alérgica relataram ter que tomar remédio constantemente para poderem trabalhar. Estaremos atentos ao andamento das obras”, destaca a diretora do Sindicato na região, Heidiany Moreno.

“Pasmem, que também no mesmo prédio funciona a superintendência regional do banco aqui em Marabá, um exemplo péssimo de cartão de visita para a imagem do banco diante de seus clientes e usuários, e principalmente com seus funcionários e funcionárias que diariamente tentam driblar todos esses transtornos para bater metas e apresentar os resultados que faz a agência ter a importância que tem na região. O mínimo que o banco poderia fazer em reconhecimento era proporcionar condições dignas de trabalho”, afirma o dirigente sindical, Wellington Araújo.

Segue o fio

O problema se arrasta desde 2019, quando os empregados e empregadas da unidade tentaram fazer uma reforma no prédio. Eles conseguiram laudo do engenheiro do banco, fizeram orçamento, submeteram para a matriz, mas o Banco da Amazônia não aprovou.

No dia 19 de janeiro deste ano, o diretor do Sindicato, Wellington Araújo, esteve na agência a pedido dos bancários e bancárias e registrou, com fotos e vídeos, a situação precária do prédio, com várias goteiras e infiltrações.

No dia 18 de fevereiro, o Sindicato foi procurado novamente pelo funcionalismo da unidade para relatar que a situação da agência tinha piorado, com um odor forte de mofo e goteiras ainda maiores devido as fortes chuvas desse período do ano em todo o Pará, o que danificou documentos e até computadores.

No dia seguinte (19) o diretor Welington Araújo retornou ao local junto com a diretora, Heidiany Moreno e conversaram com o superintendente regional do Banco da Amazônia em Marabá, Vanderlei Santos. Ele informou que o Banco já fazia um reparo na estrutura do prédio, com troca das calhas para amenizar as goteiras. Porém, informou que a reforma da agência só poderia ser realizada pela matriz, pois o valor ficaria muito acima da alçada da superintendência.

No dia 24 de fevereiro, o diretor Wellington Araújo retornou à unidade para saber novidades sobre a reforma, mas a matriz não encaminhou mais nada. Na mesma data, o gerente executivo da GEREN, Francisco Moura, respondeu ao Sindicato que o Banco já estava fazendo os reparos das infiltrações na área da superintendência e que a Defesa Civil visitou a agência.

Até que na última sexta-feira (26), o banco enviou mais uma resposta ao Sindicato, por e-mail, onde informou que o problema da infiltração na superintendência já estava sendo resolvido e que naquela data também ocorria a cotação de preços para resolver as infiltrações existentes na agência Nova Marabá, o que se concretizou na segunda-feira (1º), com a contratação da empresa Marco Construtora e Empreendimentos, para executar o serviço de reforma da agência, no valor de R$ 69.549,99.

 

Fonte: Bancários PA

Comments are closed.